Tendência do Mercado Imobiliário após COVID: Vendas x Locações

|julho 28, 2020 | Blogs

Muitas pessoas têm se perguntado o que será da construção civil, após o período de confinamento.

Analisando os mercados imobiliário e financeiro e os pareceres das empresas comerciais e industriais, que durante a quarentena, tiveram seus funcionários trabalhando em home office, concluímos que:

  • Os funcionários que trabalharam em seus lares aumentaram o rendimento nos seus trabalhos.
  • Os custos administrativos das empresas foram reduzidos, tais como: água, luz, despesas com alimentação, despesas com limpeza da área administrativa. Os empresários chegaram à conclusão que não necessitam manter seus funcionários da área administrativa trabalhando na empresa.

A tendência do mercado será:

  • A diminuição de locação de lajes coorporativas – tendência da manutenção do trabalho em home office, aliada ao baixo PIB, deve ter impacto na vacância a curto prazo.

As lojas de shopping centers, também, terão um aumento da vacância.  Com o aumento frequente da comercialização de produtos pela internet, e devido ao confinamento das pessoas em seus lares, haverá reflexos:

  • Nos shoppings centers – redução de cerca de 40% do resultado anual, devido ao confinamento e à tendência de aumentar a vacância de lojas.
  • As baixas taxas de juros incentivam o consumo, porém uma redução geral dos salários e o desemprego diminuem o consumo.
  • A tendência dos shopping centers antes do COVID era o crescimento constante das áreas de lazer e será uma alternativa para depois deste período, pois atrairá o consumo de mercadorias dentro dos shoppings.

As obras da construção civil mantiveram seu ritmo normal durante o período de confinamento, logo, teremos um mercado que apresentará muitas ofertas:

  • Baixas taxas de juros podem impulsionar financiamentos residenciais no médio prazo.

Logo, setores que devem ser menos afetados – logística e residencial.

  • Com taxas mais baixas de juros, proprietários de imóveis deverão rever os valores de locação.

Os setores mais afetados da construção civil são:

  • Lajes coorporativas e lojas comerciais (locações).
  • Setor hoteleiro – vive a pior crise dos últimos anos com o fechamento temporário de diversos hotéis, especialmente para hospedagens de lazer.

 

Por Maria Lucia Sabedotti De Biaggi

 

Fonte:  https://ibape-nacional.com.br/biblioteca/wp-content/uploads/2020/05/V-Webinar-Apresenta%C3%A7%C3%A3o-Osorio-Gatto.pdf

Share this post: